Título:
Data-hora:
08/08/2008 - 10:15
Entrevistado:
Paulo Henrique Zanin (Paulinho)
Reporter:
 
01
Quais as semelhanças e diferenças que você encontrou entre o culto luterano alemão e brasileiro?
   
A questão é que na Alemanha os cultos não são regulares com aqui. A maioria dos alemães não vai à igreja toda semana. Diferenças são poucas. A ordem do culto é a mesma, com a exceção da Santa Ceia, que é servida de uma vez, onde todos os membros formam uma roda em volta do altar.
 
02
Foi fácil se adaptar à cultura européia, especificamente a alemã?
   
Não, pelo fato de que no começo eu não falava a língua, e de que os alemães eram um pouco mais fechados do que os brasileiros. No início tive vontade de desistir, mas acabei não desistindo.
 
03
Qual foi a maior dificuldade que você encontrou lá na Alemanha?
   
O mais difícil foi se adaptar ao idioma alemão. Além disso, a alimentação também foi uma dificuldade, afinal, lá se come batata praticamente todo dia!
 
04
Você pensa em, futuramente, voltar à Alemanha?
   
Com certeza. Primeiramente preciso me reorganizar aqui no Brasil, mas pretendo realmente voltar, nem que seja a passeio, ou até mesmo em busca de uma especialização para minha carreira profissional.
 
05
E você recomenda que outros jovens realizem a prática do intercâmbio?
   
A experiência do intercâmbio é muito boa e a recompensa é muito gratificante. Porém, é preciso estar preparado e ciente de que irá encontrar uma cultura totalmente diferente e uma língua tremendamente difícil. Além disso tudo, é preciso organização para não ficar perdido lá.